Mercado de alimentos orgânicos no Brasil está crescendo. Sabe porque?

O mercado de alimentos orgânicos no Brasil ganhou força, em 2015, graças ao crescimento da conscientização por parte dos consumidores sobre a importância dos alimentos saudáveis.

“Podemos resumir que foi um ano bom para o setor”, conclui a coordenadora do Centro de Inteligência em Orgânicos da Sociedade Nacional de Agricultura, Sylvia Wachsner.

Ficou bem claro que, cada vez mais, os consumidores procuram alimentos saudáveis, bons para a saúde e que sejam menos ultraprocessados. E os orgânicos gozam dessas vantagens.

Ao mesmo tempo os consumidores reclamam que os produtos ainda são caros e ainda existem muitos desafios para o produtor que quer  importar e exportar.

O surgimento de diversas iniciativas, tem contribuído. Existem pequenos empreendimentos pelos quais consumidores se unem para comprar alimentos diretamente dos produtores rurais.

Essa e outas ações  favorecem a redução de preços, a entrega de cestas em residências e a criação de plataformas de venda online. Além do Mapa da Feira de Orgânicos.

A ampliação do mercado de alimentos orgânicos no Brasil

O comércio eletrônico cresceu, assim como os pequenos varejos que oferecem orgânicos.

Já os grandes supermercados mantiveram ou ampliaram seus espaços dedicados a esses produtos.

Diversas prefeituras aderiram às compras de alimentos orgânicos da agricultura familiar para a merenda nos estabelecimentos de ensino, no âmbito do Programa Nacional de Alimentação Escolar.

Dados

Até novembro do ano passado, o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) contabilizou no País 11.478 produtores orgânicos cadastrados.

O crescimento maior está no número de produtores registrados como OCS (Organização de Controle Social).

“O governo tem investido em programas de apoio e orientação aos agricultores orgânicos, sobretudo aos familiares, que representam a maioria dos cadastrados”, explica Sylvia.

No entanto ainda há a necessidade  de um detalhamento maior nos registros feitos pelo MAPA.

Cadastro Incompleto

A SNA tem cobrado das autoridades o incremento do Cadastro Dos Produtores Orgânicos.

É preciso saber quantas toneladas colhemos dos principais produtos, como hortigranjeiros, grãos, mel, café, frutas, produção animal, etc.

É preciso saber quais são os alimentos produzidos pelos produtores cadastrados.

O cadastro contém o nome do produtor, o CNPJ, o Estado e o município.Mas o que ele produz, não esta informado no cadastro.

Essas são informações levantadas pelas certificadoras de orgânicos e que deveriam ser disponibilizadas pelo governo”, adverte Sylvia.

A dificuldade para exportar os produtos brasileiros

Quando uma empresa deseja comprar alimentos orgânicos para revender no Brasil ou exportar, não tem onde consultar e começa uma via crucis pela falta de dados e informações.

Outro antigo problema: Não sabemos quanto o Brasil exporta pela falta de uma nomenclatura nos produtos orgânicos.

Países vizinhos como Argentina, Chile ou Peru divulgam esses dados, mas o Brasil não.

Desafios do mercado de alimentos orgânicos no Brasil

  1. Mercado de alimentos orgânicos ainda é pequeno
  2. Precisa de formação
  3. Considerar que a agricultura orgânica é uma atividade intensiva
  4. Requer mão-de-obra no manejo do solo
  5. A produção  é sazonal
  6. A produção tem baixo volume
  7. A cadeia de fornecimento é limitada
  8. Pouca disponibilidade de insumos para incrementar a competitividade,
  9. Pouca mecanização
  10. Poucas sementes orgânicas que possam oferecer novas variedades e mais rendimento aos cultivares
  11. Ausência de pesquisa e divulgação no setor
  12. Muita troca de conhecimentos e nenhuma sistematização
  13. Poucos canais de distribuição em processo de desenvolvimento

O interesse do consumidor cresce, mas o preço ainda  é caro.

Na Pesquisa realizada em março de 2016, pelo Instituto Qualibest foram ouvidos  mais de 1000 consumidores de todas as classes sociais e   de diversos estadossobre o consumo de alimentos orgânicos.

Os resultados apontam:

  • 90% considera importante o consumo de alimentos orgânicos
  • 24% consome com frequencia
  • 60% esporadicamente.

Somente 1% da extensão agrícola do Brasil é dedicada à produção orgânica e considera que existe um bom  potencial de crescimento.

O potencial de crescimento passa pelo preço, ainda considerado uma barreira por  74% dos entrevistados.

A distribuição assim como a falta de conhecimento sobre a certificação são outras barreiras.

Ao crescer a escala da produção dos orgânicos,  cai o preço e incrementa credibilidade.

Assim esperamos!

 

 

Vamos  ficando por aqui.

Esperamos ter esclarecido e ajudado  a vocês tomarem melhores decisões na hora de se alimentar.

Para nós  Quem se Ama, se Cuida. Quem se Cuida , se Informa.

Deixe seu comentário, sua observação e uma sugestão de pauta que você gostaria de ver na AmazôniaNutri.

 

Fontes:

Capa

 

 

Facebook Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *