Aquífero da Amazônia é o maior reservatório de água do mundo.

aquÏfero da amazônia

Aquífero da Amazônia é hoje o mais novo acidente geográfico hídrico cobiçado pelo mundo inteiro.

_Pudera! Sem água a vida não acontece!

Até onde nos consta, a Água é o mais importante elemento da natureza cujo único objetivo é manter viva todas as espécies. Seja homem, animal ou vegetal.
Já ouviu alguém dizer: sem luz ainda passa, mas sem água não dá!?
_Pois é! Mostraremos, holística e verdadeiramente, que sem água não haverá luz e muito menos alguém falando que falta alguma coisa.
Sabe por que?
_ Por que quando pensamos em Água devemos refletir sobre a função deste precioso recurso que é ao mesmo tempo alimento que mata a sede, recurso que gera energia elétrica e elemento essencial para a agricultura – cuja função é nos alimentar.

 

Razões para refletir sobre a água

Na realidade, existem mil razões para nos preocuparmos com a água. Por enquanto nos lembramos de oito:
1- Precisamos dela para VIVER.
2- Sem ela a humanidade e qualquer outro ser vivo desaparecerá da face da terra.
3- O planeta já está dando sinais de que a água é finita;
4- Água doce potável, bebível estão no subterrâneo da terra. Local de dificílimo acesso.
5- Se bebemos água potável de qualidade;
6- Se temos água suficiente para toda a humanidade;
7- Como esse recurso está sendo monitorado e preservado pelas autoridades;
8- Se Água é um bem público ou é um produto que deve ser vendido.

Demos um giro em volta do planeta pelas mãos de pesquisadores sérios e comprometidos com a beleza e saudabilidade dessa criação de DEUS e descobrimos que: TchanRammmmmmmm!!! mais uma vez a majestosa Amazônia guarda em seu útero um enorme volume desse precioso líquido.
Esse post promete. Leia mais.

Bacia hidrográfica da Amazônia
Bacia hidrográfica da Amazônia

A BACIA HIDROGRÁFICA DA AMAZÔNIA:

A bacia Amazônica, formada pelo rio Amazonas e seus afluentes, cobre quase 90% das terras da Região Norte da Amazônia. É lá que encontramos 16% de água doce do mundo.

Na Amazônia, por exemplo, onde estão as mais baixas concentrações populacionais, possui 78% da água superficial. Nesse sentido a região norte apresenta a maior bacia hidrográfica do mundo. É a bacia amazônica, formada pelo rio Amazonas e seus milhares de afluentes (alguns inclusive não catalogados).
Mas não existe água apenas na superfície da terra amazônica.
Há pouco tempo fomos surpreendidos com um volume espantoso de água no subterrâneo do solo amazônico.
Estamos falando do Aquífero SAGA–Sistema de Aquífero da Grande Amazônia mas popularmente
conhecido como Aquífero de Alter do Chão localizado no Pará.
Bora conhecer essa maravilha da  criação divina?

 

Aquífero de Alter do Chão ou

SAGA – Sistema Aquífero da Grande Amazônia.

 

aquÏfero da amazônia
Aquífero da Amazônia

Há cinco anos atrás foi descoberto por cientistas e pesquisadores da Universidade Federal do Pará o Aquífero de Alter do Chão no Pará. Por sua imensa abrangência e volume ficou denominado com SAGA – Sistema Aquífero da Grande Amazônia.

O SAGA foi apresentado pelo Professor da Universidade Federal do Pará (UFPA) Francisco de Assis Matos de Abreu, durante a 66ª Reunião Anual da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), em Rio Branco.

Ele possui 162.520 km³, com mais de 150 quatrilhões de litros de água subterrânea e 39 mil km³.

Para quem não sabe, Aquífero é toda formação geológica subterrânea capaz de armazenar água e que possua permeabilidade suficiente para permitir que esta se movimente.

Nele existe água doce subterrânea com potência para matar a sede da população do mundo por mais 500 anos.
Mapa do Aquífero SAGA

Aquífero SAGA ou Aquífero Alter do Chão é considerado

o primeiro maior aquífero do mundo.

Ele abrange os estados do Amazonas, Pará e Amapá e é quase duas vezes maior que o Aquífero
Guarani localizado também no centro sudeste do Brasil.
Enquanto a ciência e a tecnologia não inventam uma maneira de usar essa água, e as multinacionais ainda não compraram a região, ela segue sendo utilizada para abastecer as cidades do
Vale Amazônico, como Manaus e Santarém.

O acesso a este aquífero não é fácil. Tampouco  será fácil ou barato levar água até as regiões e populações mais necessitadas.
Do ponto de vista do poder público, seria necessário milhões para construir uma obra faraônica para a retirada dessa água: a velha retórica política para justificar a comercialização do uso da água por grandes corporações.
Se o governo não pode arcar com essa obra é bem possível que uma mega  multinacional venha fazê-lo.

E é o que já está acontecendo. Vai lendo!

Felizes mas preocupados com tanta Água.

Para garantir a manutenção do Aquífero SAGA, é preciso, além de uma correta administração pública nas três esferas governamentais (municipal, estadual e federal), a conservação das áreas naturais da região, principalmente a vegetação.

Afinal, é a Floresta Amazônica que gera umidade para a atmosfera e garante a existência de chuvas na região, além de diminuir o impacto das chuvas sobre o solo e permitir a maior infiltração das águas pluviais.

De acordo com um estudo realizado pelo Serviço Geológico Nacional, o principal risco em torno da qualidade das águas do aquífero em questão é a contaminação por meio de poços abandonados e construídos sem os devidos cuidados técnicos.
Por meio deles, poderia haver um escoamento de águas superficiais eventualmente poluídas ou contaminadas para as áreas interiores do aquífero, o que requer maiores cuidados para evitar a inutilização dos recursos hídricos locais.

A contaminação dessas águas, por sua vez, pode ocorrer pela má destinação de esgotos e lixos urbanos em cidades próximas, além do emprego inadequado de agrotóxicos em ambientes rurais na região.

 

Brasil: planeta dos aquíferos.

Antes da descoberta do Aquífero SAGA, já existia o Aquífero Guarani.
Ou seja, juntando os dois, o Brasil é um planeta a parte: o Planeta dos Aquíferos.

Em outras palavras temos uma riqueza incalculável de H2O quando somamos estes dois grandes e majestosos Aquíferos que DEUS nos presenteou.
Temos os dois maiores lagos subterrâneos do mundo dentro do Brasil. Além da bacia hidrográfica de lagos e rios que estão na superfície das terras brasileiras.
Estamos falando de água potável , água doce , própria para o consumo humano.
Nós detemos cerca de 12% da reserva hídrica do Planeta, com disponibilidade de 182.633 m³/s. Mais notamos que, hoje, a parcela de água doce disponível no mundo para consumo é pequena, estando ela em rios, lagos superficiais.
Mas nós, fomos abençoados com recursos abundantes de água.

Resumindo: possuimos os maiores recursos hídricos mundiais. Tanto na superfície do solo (rios, lagos) quanto subterrâneas (aquíferos saga e guarani). A bola da vez!

Opa! A gente tem água em abundância,
mas o mundo não!

Globo com copo e torneira

Quando focamos os dados sobre a água no Brasil, nosso semblante se enche de orgulho e de alegria mas também de boa dosagem de preocupação.
Estamos falando dos recursos de:
• Água superficial formado pelas Bacias hidrográficas do Amazonas e Paraná;
• Água dos subterrâneos formados pelas Bacias Sedimentares do Paraná, Piauí, Maranhão.
• Aquífero de Alter do Chão – SAGA
• Aquífero Guarani.
Mas para nossa preocupação, mesmo com toda essa água disponível para consumo, ela não é tão abundante ao ponto de não desaparecer.
A ação predatória do homem pode acabar com os reservatórios superficiais e subterrâneos.

COM TANTA ÁGUA NO BRASIL A GENTE DEVERIA ESTAR TRANQUILO NÉ VERDADE?!

Mas infelizmente devemos alertar que a coisa não é bem assim. São muitas os fatores preocupantes.
Apesar de termos os recursos hídricos em mananciais subterrâneos e superficiais para dar e vender.
E parece que vender é algo que já está sendo planejado.

Muita água e muita possibilidade de contaminação.

rio poluido com garrafa plástica

Mesmo com toda a abundância de água que vem dos Aquíferos brasileiros nos deparamos com a possibilidade de contaminação dessas águas pelo uso de agrotóxico na terra e pelo lixo plástico.
Os fatores de degradação são muitos e de várias formas. Confiram o que esta acontecendo com o aquífero Guarani.

Situação do Aquífero Guarani.


O Aquífero Guarani é o segundo maior reservatório subterrâneo de água doce do mundo e está localizado no centro-leste do continente Sul-Americano ocupando parte dos países como: Argentina, Brasil, Paraguai e Uruguai.
O Brasil abriga 70% desse reservatório.
Existe há mais ou menos 245 ou 144 milhões de anos quando as rochas conhecidas como “Guarani” começaram a se formar através de depósitos de camadas arenosas na região da bacia geológica do Paraná, formando camadas que variam de 50 a 800 metros e estão situadas a mais ou menos 1800 metros de profundidade.
Com uma extensão aproximada de 1,2 milhão de km² (destes, 840 mil km² estão no Brasil), o Aquífero comporta cerca de 45.000 km³ de água sob a forma de reservas permanentes e 5 mil m³/s de reservas exploráveis (que podem ser exploradas comercialmente) de acordo com a recarga anual.

É uma importante reserva estratégica para o abastecimento da população, para o desenvolvimento das atividades econômicas e do lazer dos quatro países da América do Sul.
Estimativas apontam que a quantidade de água armazenada seja de aproximadamente 40 trilhões de metros cúbicos.
Esse potencial é explorado através da perfuração de mais de mil poços com profundidades de 100 a 300 metros, fornecendo água para milhares de pessoas.

OS RISCOS DE DESAPARECIMENTO DA ÁGUA DO AQUÍFERO GUARANI SÃO REAIS.

Em Barrinha, município de São Paulo, as pessoas pagam apenas uma taxa de 20 reais pelo consumo de água.
Lá não existe medidor, nem hidrômetro, existe o Aquífero Guarani que abastece toda a cidade.
A água existe em abundância e pode ser utilizada livremente.
O poder público conta apenas com o bom senso da população.
Mas já existem sinais de que essa política terá que ser revista pois não há punições para os maus consumidores.

300 POSTOS DE EXTRAÇÃO DE ÁGUA NO
AQUÍFERO GUARANI

Já em Ribeirão Preto (no estado de SP) existem mais de 300 postos de perfuração para extração de água do Aquífero Guarani. O impacto já deu às caras.
Uma simulação realizada pela Universidade de São Paulo (USP) mostrou que o Aquífero Guarani de Ribeirão Preto rebaixou 70 metros nos últimos 80 anos de captação.
Esse fato tem incidência direta na tarifa da energia elétrica.

Quanto mais profundo for o poço de captação no Aquífero Guarani mais energia elétrica será usada nas máquinas de extração para que a água seja elevada até a superfície. E essa conta quem paga é a população.
Os órgãos do governo responsáveis pela monitoração diz que tudo está sobre controle.
Há monitoração de todo o Aquífero Guarani mas como medida preventiva foram proibidas novas perfurações de poços que não tenham como objetivo o uso exclusivo do consumo humano.

 

ÁGUA DA CHUVA REPÕE A ÁGUA DO AQUÍFERO GUARANI.

O aquífero Guaraná tem mais de 1.200.000km2 de área, mas apenas 10% dessa área é considerada uma zona de recarga para o Aquífero.
São nas zonas de recarga que a água das chuvas penetram pela superfície dos solos e repõe até o sistema subterrâneo de água do Aquífero Guarani renovando-o.
Isso chama a atenção para importância de preservação do solo dessas zonas.
25 postos de São Carlos são monitoradas por pesquisadores da USP.
Quando um poço é encontrado seco funciona como alerta e mostra como a variabilidade das chuvas afeta as taxas de recarga desse Aquífero.
Funciona como um sistema de caixa d’água.
Se a vazão for maior que a reposição, é evidente que não haverá água.

A importância do Solo na função de repor a água do

Aquífero Guarani

Existe uma vulnerabilidade muito grande da superfície de terra que recebe a chuva que por sua vez é levada para o Aquífero.
O terreno da zona de recarga do Aquífero Guarani se torna vulnerável à contaminação.
Os pesquisadores detectaram quatro fatores que contribuem para essa contaminação e consequentemente para prejuízo do Aquífero Guarani.

1. Impermeabilização do solo;
2. Ocupação Urbana;
3. Despejo de Esgoto desordenado;
4. Empreendimentos industriais.

Pesquisadores da Universidade de São Paulo (USP) informaram que determinadas culturas diminuem a capacidade de absorção das as chuvas de repor o Aquífero Guarani. São elas:
• Em áreas de Pastagem , diminue a capacidade de absorção da chuva em 26%;
• Em áreas de Lavoura de Cana-de-Açúcar,  a absorção cai para 19%;
• Em Plantações de Eucaliptos , apenas 9% de tudo o que chove chega ao Guarani.

 

SOLUÇÕES PARA EVITAR A CONTAMINAÇÃO DAS ZONAS DE RECARGA DO AQUÍFERO GUARANI

Segundo os especialistas da USP, para que o solo da zona de recarga do Aquífero Guarani seja preservada será necessário saber:
• Quais culturas são adequadas áquelas zonas;
• Quais manejos de solo são adequados;
• Procurar equilíbrio entre produção da água, de alimento e da bacia Hidrográfica.

 

ATENÇÃO PARA ESTE DETALHE:

SÓ TEM ÁGUA NO AQUÍFERO SE TIVER CHUVA

Todo esse potencial tem o reforço de chuvas abundantes em mais de 90% do território, aliadas ás formações geológicas que favoreceram a gênese de imensas reservas subterrâneas, como também possibilitaram a instalação de extensas redes de drenagem, gerando cursos d’água de grandes expressões.

A VERDADE SOBRE A ÁGUA NO PLANETA TERRA

 

 

No planeta * 97,5% da água é salgada e apenas * 2,24% da água é doce.
Desses 2,24% de água doce apenas 0,26% está disponível para o consumo, mas sua localização é de bem difícil acesso por que se concentram nas geleiras ou em regiões subterrâneas da terra chamadas de aquíferos.
Desses 2,24% somente 0,4% de água doce é encontrada em rios, lagos e na atmosfera, portanto de fácil acesso ao consumo humano.

 

Atualmente, está ficando cada vez mais difícil encontrar água de qualidade. Isso devido à poluição de rios, represas e do solo, decorrente da própria ocupação e atividade humana.
A quantidade de água no mundo tem permanecido constante nos últimos 500 milhões de anos e se fosse respeitada, preservada e normatizada seu uso estaríamos bebendo na mesma fonte água do dia da criação da terra até os dias de hoje. Mesmo com o aumento da população.

 

ÁGUA: UM DIREITO PÚBLICO

Direito a água temos desde que nascemos.

Deus criou tudo perfeito. Tudo em harmonia. Água corresponde a 70% do corpo humano. É  sinônimo de vida, limpeza, leveza, nascimento e renascimento desde o princípio dos tempos quando ELE pairava sobre ela.

Mas face a tamanha desordem e ganância provocadas pelo homem no meio ambiente, as autoridades brasileiras , grandes corporações e alguns órgãos internacionais estão se preocupando em debater o tema, deixá-lo em evidencia cujo objetivo é preparar o terreno para a privatização e parceria comercial.
_É isso mesmo. Já pagamos impostos pela  água “torneiral” e agora vamos ter que pagar pela água mineral para beber.

PRIVATIZAÇÃO DA ÁGUA

Eis a grande polêmica entre beber água “torneiral” ou  água mineral.
A qualidade da água “torneiral” é de responsabilidade do poder público. Afinal pagamos imposto de saneamento básico para termos o direito de beber ou usar água tratada.

Já a água mineral vem sendo capitalizada pelas empresas privadas. Ou seja a água mineral deve ser vendida pois é vista como um produto que deve ter tratamento para o consumo humano.
Para justificar que a água seja privatizada, se mantem o velho discurso de que o poder público não tem condições de arcar com os custos de maiores investimentos e a solução é a privatização.

Além das questões de interesse comercial que circunda o assunto, há também uma grande questão que não está sendo bem refletida. A água privatizada é distribuída por meio da venda de copos, garrafas, garrafinhas e garrafões. Possivelmente a tendência é de agravamento de danos ambientais com o aumento da produção desses recipientes plásticos. Já parou para pensar?

A EXPLORAÇÃO DOS AQUÍFEROS GURANI E SAGA

No dia 22/08/2016 foi publicado um artigo no Correio de Brasília com o título: ‘Multinacionais querem privatizar uso da água ” .
O artigo informa que, “segundo revelou um alto funcionário da Agência Nacional de Águas (ANA), em condição de anonimato (…). O Aquífero Guarani, reserva de água doce com mais de 1,2 milhão de km² , deverá constar na lista de bens públicos privatizáveis (…) As negociações com os principais conglomerados transnacionais do setor, entre elas a Nestlé e a Coca-Cola, seguem ‘a passos largos’.”
A Water Resources Group – WRG – que reúne a Coca-cola, a Pepsi e o Banco Mundial com o objetivo de privatizar a água em todo o mundo através de parcerias público-privadas.
O programa da Nestlé ‘Creating Shared Value’ realiza anualmente um importante evento internacional, sempre em países diferentes, com a participação de governos, altos funcionários de instituições como a ONU e o Banco Mundial, com uma visão estratégica muito bem planejada.

AGRONEGÓCIO X PRIVATIZAÇÃO DA ÁGUA

A Nestlé já possui cerca de 20% da água mineral potável do mundo, e parte importante desse estoque está no Brasil (já são 30% de todo mercado brasileiro); a maioria dos reservatórios foram comprados, privatizados no período de crescimento econômico de 2000-2015.
A grande ofensiva deles no Brasil seria a exploração do Aquífero Guarani, que é a maior reserva de água potável subterrânea do mundo, que abrange parte de São Paulo e toda região sul do país, equivalente ao que era o Território Guarani, pré-invasão dos europeus.
Mas neste caso estão enfrentando contradições com o agronegócio, que com uso intensivo dos agrotóxicos está contaminando o lençol freático, sobretudo na região de São Paulo e Paraná, mais próxima do mercado consumidor de água engarrafada.

ÁGUA: PAGA OU GRATUITA?

A água não pode ser oferecida de graça porque quando essa água está na natureza e nós a tomamos da natureza, nós temos que tratá-la para que ela possa ser servida para a população. Na natureza, mesmo do rio mais límpido, aquela água não está em condições de ser servida com segurança à população. Então, há necessidade de investimentos em obras e serviços. E essas ações custam dinheiro e tem que ser pagas”, afirma o
Professor titular de Engenharia Civil e Ambiental na Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (USP) e Ph.D em recursos hídricos pela Stanford University, dos Estados Unidos e atual Presidente do Conselho Mundial da Água, Dr Bendito Braga.
Ele defende uma tarifa baixa para o povo porque o tratamento da água tem custo e do saneamento básico também.

ÁGUA: PRIVATIZAÇÃO, ESTATIZAÇÃO E REESTATIZAÇÃO

“O acesso à água e ao saneamento é um direito humano que possui valor social e não pode ser tratado como simples mercadoria ou negócio”. A água é um bem público, não uma mercadoria.
Existem críticas ao programa de privatizações do governo federal para empresas de água e saneamento.
Já dispontam opiniões contrárias contra a transferência do setor para a iniciativa privada e enumera casos de reestatizações no mundo.

PROGRAMA DE PRIVATIZAÇÃO DO GOVERNO BRASILEIRO PARA A ÁGUA.

O Programa de Parcerias de Investimentos (PPI) foi criado pelo governo para ampliar e fortalecer a relação entre o Estado e a iniciativa privada. O objetivo principal é gerar empregos e crescimento para o País por meio de novos investimentos em projetos de infraestrutura e de desestatização.

Esse programa abrangerá diversas companhias de saneamento. Até agora 18 estados brasileiros manifestaram interesse, mas apenas sete iniciaram o estudo de viabilidade.

Em nota técnica, o Dieese -Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos, manifestou ser contra a privatização das empresas estatais de saneamento comprovando que enquanto o PPI avança no Brasil, a experiência em outros países demonstra a reestatização.

Países  que fizeram  reestatização da água:

França com 94 casos;

EUA com 58 casos;

Espanha com 14 casos;

Alemanha com 9 casos.

Em 1991, em Berlim a medida foi bastante impopular e a reestatização custou muito caro. Houve um referendo em 2011 onde a reestatização foi confirmada e o pais teve que desembolsar 1,3 bilhões de Euros para reaver o controle da empresa que estava privatizada.
Reverter o processo de reestatização é muito mais oneroso e quem sempre paga a conta é o contribuinte.

8º Fórum Mundial da Água

O Fórum Mundial da Água é o maior evento mundial sobre o tema “água” e é organizado pelo Conselho Mundial da Água. O Conselho é uma organização que unifica todas as partes interessadas no tema.

O 8º Fórum Mundial da Água, ocorrerá em Brasília entre os dias 18 e 23 de março de 2018.

Segundo o consultor do Fórum Mundial da Água, Glauco Kimura, serão abordados assuntos desde a crise hídrica no Brasil até a quantidade de água usada na produção de alimentos.

Ele destaca como novidade os painéis que vão discutir os chamados temas quentes, como o nexo

água-alimento-energia
“[Queremos discutir] como conseguimos solucionar o problema de ter água suficiente para a produção de alimentos, para abastecimento público e para a geração de energia, uma vez que a população está crescendo e se estima que vá atingir 9 bilhões até 2050, e a água vai ficar cada vez mais escassa”, explica o consultor do Fórum.

Atualmente ou chove muito, e a gente tem enchentes e inundações, ou

chove muito pouco, e a gente passa por secas e estiagens. Por que será hein?!

Pelo menos 6.700 representantes políticos de mais de 150 países foram convidados a participar do 8º Fórum Mundial da Água, em Brasília.

ÁGUA: DIREITO SAGRADO DE TODOS

Hoje, 305 povos indígenas que existem dentro do Brasil já contatados, e em todos os povos a reclamação é a mesma: que a água está acabando, que as grandes empresas e fazendeiros estão retirando a água dos nossos rios, dos nossos mananciais”,

afirma o representante da Articulação dos Povos Indígenas do Brasil (Apib), Júnior Xukuru.

Vamos ficando por aqui.
Esperamos ter contribuído com informações sobre a importância da  água.
Para nós da Amazónia Nutri quem se ama se cuida e quem se cuida se informa

 

Fontes:
http://meioambiente.culturamix.com/natureza/principais-mananciais-do-brasil
https://www.infoescola.com/hidrografia/mananciais/
http://epoca.globo.com/tempo/noticia/2014/03/o-brasil-pede-baguab.html
http://www.cmqv.org/website/artigo.asp?cod=1461&idi=1&moe=212&id=15535
www.oeco.org.br/dicionario-ambiental/28001-o-que-e-um-aquifero/
10 países no mundo sob risco extremo de falta d´água
http://epocanegocios.globo.com/Brasil/noticia/2018/01/sociedade-precisa-estar-preparada-para-viver-com-menos-agua-diz-especialista.html
http://expresso.sapo.pt/sociedade/2018-01-14-A-agua-e-o-proximo-luxo
http://www.bbc.com/portuguese/geral-42735598 sobre agua crua
https://racismoambiental.net.br/2018/01/20/forum-economico-mundial-temer-entrega-o-jogo-e-a-agua/ sobre a Nestlê
http://www.rtc.cv/tcv/index.php?paginas=13&id_cod=59117 robo para solucionar a água em cabo verde como eliminar a contaminação da água.
https://br.sputniknews.com/ciencia_tecnologia/2018011610291820-sociedade-meio-ambiente-consumo-escassez-seguranca-economia/
https://www.rtp.pt/noticias/mundo/unicef-alerta-para-quase-50-milhoes-de-criancas-sem-agua-potavel-e-assistencia_n1055129
http://g1.globo.com/brasil/noticia/2010/04/aquifero-na-amazonia-pode-ser-o-maior-do-mundo-dizem-geologos.html
Facebook Comments

1 thought on “ Aquífero da Amazônia é o maior reservatório de água do mundo.

  1. PARABÉNS pela EXCELENTE e importantíssima reportagem.
    Este blog está cada vez melhor. É um dos melhores que conheço, e, olhe, que conheço muitos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *