Transgênicos: solução ou problema para a fome da humanidade?

Transgênicos  ou  OGMs, Organimos Geneticamente Modificados: um dos temas mais debatidos da atualidade tem sido o centro das atenções das pessoas que defendem a produtos  naturais  e orgânicos.

Escolher esse tema pode parecer um tanto contraditório. No entanto, defendemos que ideias, posturas, opiniões diferentes, contrarias, opostas às nossas devem ser estudadas e compreendidas.

Para se contrapor a algo ou a alguém é necessário se informar , conhecê-lo e entendê-lo.

Estudá-lo a fundo e em  todos os ângulos para que se tome uma postura e se construa uma opinião justa, respeitosa e fundamentada em fatos e dados reais.

Cada ser vivo é um conjunto material de organização inteligente, constituído de órgãos, tecidos e células.

Eles se  comunicam entre si através da relação de determinados elementos comuns: carbono, hidrogênio, oxigênio, nitrogênio, fósforo e enxofre.

Ou seja, a composição genética humana, animal, das plantas e dos microorganismos é igual.

História do Transgênico

O primeiro cientista a iniciar o estudo sobre a genética foi Gregor Mendel, em meados de 1865, através do cruzamento seletivo de plantas de ervilhas comuns.

Contudo, foi apenas em 1900, muitos anos após a morte do cientista, que seus estudos foram retomados por William Bateson.

Transgênico dna alterado geneticamente
Transgênico- dna modificado.

Ainda assim, levou mais 53 anos para que a estrutura do DNA fosse de fato descoberta, por Francis Crick e James Watson em 1953.

A partir daí, iniciou-se uma série de estudos no campo da genética.

Em 1972 o bioquímico Paul Berg resolveu juntar duas moléculas de DNA em laboratório, experimento este que mudou a história da humanidade e abriu as portas para a criação dos Organismos Geneticamente Modificados (OGMs).

Transgênicos: mudanças no DNA.

O genoma é toda a informação genética hereditária de um organismo que está sistematizada em seu DNA.

Os OGMs são organismos que tiveram seu genoma alterado intencionalmente através da Engenharia Genética, com o objetivo de modificar certas características e/ou atribuir-lhes nova, por meio da inserção ou eliminação de um ou mais genes em seu DNA.

O objetivo principal disso é o desenvolvimento de organismos mais nutritivos, resistentes à agrotóxicos, pragas, doenças, sementes de maior durabilidade no mercado, melhora das características físicas e químicas, entre outras.

Transgênicos: efeitos colaterais.

Contudo, a maior crítica com relação aos organismos Transgênicos é quanto aos seus efeitos colaterais à saúde humana, do meio ambiente e ao patrimônio genético, entre os quais já são conhecidos e discutidos:

  • Dentre os riscos à saúde humana estão as alergias, toxicidades e intolerâncias;
  • Dentre os riscos ao meio ambiente está a transferência horizontal dos genes, ou seja, a transferência de material genético de uma célula para outra que não é sua descendente, acarretando por fim uma poluição genética.

Principais produtos modificados

Os organismos mais comumente modificados desde Paul Berg são: soja, milho, tomate, canola, batata e algodão além de outros produtos oriundos do Trigo.

As características mais frequentemente modificadas são: tolerância a herbicida, resistência a inseto, qualidade do produto e resistência a vírus.

Transgênicos no Brasil e no mundo.

Apesar da população mundial já produzir e consumir diversos produtos geneticamente modificados, a polêmica continua. O olhar agora esta sobre a rotulagem desses produtos.

No Brasil, começou-se a discutir a respeito dos OGMs em 1995, quando entrou em vigor a Lei da Biossegurança.

Contudo, com a pressão de ONGs contrárias à liberação, em 1998, vigorou-se que qualquer transgênico aprovado no país passe por alguns estudos.

Estudos sobre o Transgênicos

 O principal estudo é o de  impacto ambiental.

O segundo estudo vem da  avaliação de risco à saúde humana.

Terceiro estudo é o da rotulagem plena dos produtos, de acordo com o código de Defesa do Consumidor.

Em 2003 foi aprovada a lei de nº 4.680, pelo  Ministério da Ciência e Tecnologia , que exige a identificação  nos rótulos  dos  alimentos que contenham mais de 1% de componentes trangênicos.

Lei da Biossegurança

Após 11 anos à Lei de Biossegurança, em 2006 iniciava-se o cultivo de OGMs no Brasil, com o plantio de dois tipos de transgênicos, ambos desenvolvidos pela empresa norteamericana Monsanto:

  1. A Soja tolerante ao Herbicia Roundup Ready (SOJA RR)
  2. O Algodão Bollgard Evento 531, resistente a insetos

O Brasil hoje está entre os principais países produtores de OGMs no mundo, e lidera o ranking na produção da soja transgênica.

 Vamos ficando por aqui.
Esperamos ter contribuído com informações que vão ajudar a melhorar seu conhecimento sobre o transgênico.

Para nós da Amazônia Nutri quem se ama se cuida e  quem se cuida se informa.

Até a próxima.

 

Fontes:
CORDEIRO, A. R.: “Plantas trânsgenicas: o futurro da agricultura sustentável”. História, Ciência, Saúde – Manguinhos, vol. VII(2), 499-502, jul. Out. 2000
PIMENTEL, Celeste Aparecida.: “Alimentos transgênicos: mitos e verdades”. Professora do Departamento de Ciências Humanas Campus VI – UNEB.
SOQUETTA, Marcela Bromberger.: “Alimentos transgênicos”. Departamento de Ciência dos Alimentos, Curso de Bacharelado em Química de Alimentos – UFPEL, 2009
Image courtesy of Salvatore Vuono at FreeDigitalPhotos.net
Facebook Comments

0

Pros

Cons

4 thoughts on “ Transgênicos: solução ou problema para a fome da humanidade?

  1. I have been surfing online more than three hours today,
    yet I never found any interesting article like yours.
    It is pretty worth enough for me. In my opinion, if all website owners and bloggers made good content as you did, the web will be a lot more useful than ever before.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *